Florestas de Uso Múltiplo

Uma proposta inovadora de produção florestal, aliando preservação ambiental com uso econômico, foi desenvolvida pelo pesquisador Guenji Yamazoe e está sendo aplicada em algumas propriedades rurais no estado de São Paulo.

Trata-se das “florestas de uso múltiplo”. Por este modelo de reflorestamento, investe-se na diversificação de produtos, em busca de um manejo sustentável da área produtiva. Para o produtor rural, que necessita do retorno econômico, o modelo também pode ser adotado em áreas de reserva legal, para posterior exploração comercial. A idéia é que o produtor obtenha retorno econômico já durante a fase de crescimento da floresta, primeiro com a intercalação de cultivos anuais (algodão e amendoim, por exemplo), depois com frutas e finalmente com extração de madeira, com cada um destes grupos sendo plantado dentro de uma faixa, obedecendo a critérios ecológicos e econômicos.

Convém lembrar que a lógica de manejo florestal que embasa a proposta da floresta de uso múltiplo é a mesma lógica que é aplicada há centenas de anos pelas administrações florestais em países como Japão e Alemanha.

A curto prazo, em quatro a cinco anos, já haverá produção de frutos com potencial econômico, como araçá, uvaia, cambuci, cabeludinha, grumixama, etc., além de sementes de espécies pioneiras, que têm crescimento rápido e vida curta. A médio prazo, ou seja em 10 – 15 anos, o produtor também obterá rentabilidade com a extração de madeira branca, como guapuruvu, tamboril e caixeta, além da produção de palmito juçara, cujos frutos podem ser aproveitados para a produção de alimento. A longo prazo, em 30 anos, já haverá a possibilidade de produzir madeira nobre de alto valor comercial, como jatobá, jequitibá e guanandi.

A sociedade brasileira e mundial não pode mais perder tempo com lamentações sobre o desmatamento. É necessário investir no replantio de árvores nativas. Se isto for feito seguindo alguns critérios, fornecerá um ótimo retorno econômico. Após os investimentos iniciais e depois que a floresta estiver em pé, bastará manejá-la de forma sustentado (ou seja, não retirando mais do que aquilo que é produzido anualmente) para obter-se uma rentabilidade regular e sem prazo para acabar, como os juros de uma aplicação financeira.

“Matas nativas” está buscando parceiros interessados em adotar este sistema em grande escala, e pensamos nas áreas de reserva legal de um empreendimento rural de grande porte (setor de produção de álcool, café, celulose, por exemplo).

7 Respostas so far »

  1. 1

    marcia dutra said,

    A idéia de recuperação das matas ciiares com manejo diversificado é muito importante para a produção familiar. Gostaria de saber mais a respeito.Abraços.

    • 2

      matasnativas said,

      Márcia,

      a metodologia das Florestas de Uso Múltiplo destina-se mais à área da reserva legal, ou mesmo à área “produtiva” de uma propriedade. Em alguns casos a metodologia talvez pudesse ser aplicada às matas ciliares, mas neste caso é preciso considerar que sua função principal é a de proteger os cursos d’água e a biodiversidade. Em outras palavras, produzir serviços ambientais, e não produtos para o mercado.

      • 3

        Prezados senhor@s. Sou secretário executivo do Fórum Florestal do Sul e Extremo Sul da Bahia, espaço aberto de diálogo entre empresas florestais (Fibria, Suzano e Veracel), organizações ambientalistas e comunitárias atuantes nesta região. Nosso próximo encontro, em agosto próximo, tratará exatamente deste tema – florestas de uso múltiplo – e, por este motivo, gostaríamos de aprofundar o contato e conhecer as experiências do Mata Nativa.

      • 4

        matasnativas said,

        Olá, Paulo!

        Somos estudiosos do conceito da Floresta de Uso Múltiplo e temos grande interesse em participar desse Encontro para trocarmos experiências e, eventualmente, tratarmos da elaboração de projetos conjuntos. Aguardamos seu contato!

  2. 5

    Saudações Márcia

    Com certeza é excelente opção de sustentabilidade, nós do Instituto Árvore da Vida temos trabalhado no sentido de difundir idéias e ações que afinem sustenabilidade ambiental e financeira. Em breve faremos um encontro e iremos convidá-la.

    Um abraço
    Deise Nascimento

  3. 7

    […] 1 mai Uma proposta inovadora de produção florestal, aliando preservação ambiental com uso econômico, foi desenvolvida pelo pesquisador Guenji Yamazoe e está sendo aplicada em algumas propriedades rurais no estado de São Paulo. Trata-se das “florestas de uso múltiplo”. Por este modelo de reflorestamento, investe-se na diversificação de produtos, em busca de um manejo sustentável da área produtiva. Para o produtor rural, que necessita do retorno econômic … Read More […]


Comment RSS · TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: